Integrationskurs

A Alemanha é um país tão organizado que existe um curso de integração para imigrantes, o Integrationskurs für Zuwanderer. Iniciativa maravilhosa, que ajuda os imigrantes a aprenderem o idioma local, conhecer a política, a cultura, a história e como a sociedade alemã funciona.

O curso inteiro dura 700 horas e é dividido em 2 partes. A primeira é composta de 600 horas de aulas de alemão e a segunda parte tem 100 horas de aulas sobre política, história, cultura e sociedade.

O curso costuma ser intensivo, com aulas todos os dias, de segunda a sexta, de manhã ou à tarde, 4 horas por dia com meia hora de intervalo, ou período integral, 8 horas por dia, para jovens de até 25 anos.

O curso com 4 horas de aula por dia dura cerca de 7 meses. São 6 meses de aula de alemão e 1 mês do curso de orientação (Orientierungskurs).

O curso de idioma vai do level A1.1 (básico) até o level B1.2 (pré-intermediário), sendo 100 horas cada módulo e é focado no alemão usado no dia-a-dia.

As aulas usam vocabulário e situações como ir ao supermercado, fazer uma reserva de hotel, ir ao médico, resolver problemas e trocas de produtos com defeito, fazer um pedido em um restaurante, escrever cartas, atender um telefone, fazer currículo e uma entrevista de emprego entre outras coisas.

O foco é que o imigrante seja independente e consiga resolver seus problemas sem ter que ficar pedindo ajuda pra tudo.

A segunda parte do curso é a orientação, que dura 100 horas (antes eram apenas 60 horas) e o imigrante aprende sobre como funciona a política do país, como funciona o voto, o que tem na constituição alemã. Importante para quando o imigrante se naturaliza e começa a votar também.

Há ainda aulas de história da Alemanha, importantes para entender o passado do lugar onde você está vivendo agora e entender de onde vem algumas coisas que estão na constituição atual e porque são tão importantes.

E há também uma parte do curso sobre cultura visando minimizar o choque cultural entre alemães e imigrantes vindos dos mais diversos países com as mais diversas culturas.

Por ser brasileira, ou seja, vinda de um país que foi colonizado por um país europeu e que tem histórico de ter recebido muitos imigrantes europeus, percebi que nossa cultura tem muitas coisas em comum com a cultura alemã.

Temos uma cultura basicamente cristã, com feriados cristãos, comemoramos Natal, Páscoa, entre outras coisas, o que não acontece com todos os países do mundo.

Pra mim foi uma experiência interessante escutar diferentes opiniões sobre assuntos polêmicos, como por exemplo, o casamento homossexual, permitido no Brasil de 2013 e ainda proibido em vários países como Rússia, Síria e Japão, por exemplo.

Foi interessante ver também como funciona o sistema educacional na Alemanha e saber sobre as leis trabalhistas.

Fazer esse curso foi enriquecedor tanto por aprender mais sobre o lugar onde escolhi viver, quanto sobre aprender sobre tolerância e diferenças culturais. E veja bem, tolerar não é o mesmo que concordar ou gostar.

Quando você vai pedir seu visto de residência ou permanência no escritório de imigração (Ausländerbehörde) eles te dão um papel com a autorização para fazer o curso. Dependendo do tipo de visto o curso pode ser obrigatório ou pode ser apenas uma recomendação.

O governo alemão tem parceria com as escolas de idiomas e subsidia metade do curso ou o curso inteiro pra pessoa, dependendo com tipo de visto. O custo do curso, em 2017, é de 1,95 euros hora/aula, ou seja, o curso inteiro fica 1.365 euros, mas pode sair completamente de graça dependendo do seu tipo de visto.

Quando você vai pegar o seu visto eles te entregam junto com o papel de autorização pra fazer o curso de integração uma lista com umas 200 escolas onde você pode fazer o curso. Dica: Escolha a escola mais perto da sua casa, eu não fiz isso e me arrependi, demorava quase uma hora pra chegar na escola todos os dias e no inverno isso não é nem um pouco divertido. No site do BAMF existe uma ferramenta que você pode usar pra procurar as escolas mais perto de você. Clique aqui pra buscar uma escola.

Para saber mais entre em contato com o BAMF, Bundesamt für Migration und Flüchtlinge (Repartição Federal de Migração e Refugiados), órgão responsável pela organização e financiamento do curso.

Há ainda o custo dos livros, na minha escola usamos o Berliner Platz, livro com CD de áudio e caderno de exercícios, que saiam mais 35 euros a cada 2 meses, foram 3 livros, um pro A1, um pro A2 e um pro B1, mas cada escola usa um livro diferente, é bom se informar antes. Cuidado pra não comprar a edição errada do livro, pra evitar esse problema o melhor é comprar os livros na própria escola, caso exista essa opção.

E tem mais o livro do Orientierungskurs que custa 10 euros. O livro usado foi o 60 Stunden Deutschland.

Ou seja, no meu caso, foram 115 euros só em livros. Você pode comprar esses livros usados ou pegar emprestado com alguém pra diminuir o custo. Recomendo comprar pelo menos os cadernos de exercícios, eles custam em média 10 euros cada um e você vai escrever neles.

Acabado o curso de integração os participantes precisam fazer 2 testes para adquirir o Zertifikat Integrationskurs:

  • teste sobre cidadania, Leben in Deutschland
  • teste sobre conhecimentos do idioma, DTZ – Deutsch-Test für Zuwanderer

O Certificado do Curso de Integração (Zertifikat Integrationskurs) reduz um ano do tempo total de residência na Alemanha para que se possa dar entrada no processo de naturalização.

Os testes são gratuitos e caso o imigrante tenha frequentado regularmente as aulas, mas não conseguiu atingir o nível B1 no teste final, ele pode requerer a repetição do módulo do B1 e fazer o teste do DTZ novamente. Caso você pague pelo curso e passe nas provas o governo reembolsa metade do valor.

Falo mais sobre estas provas e seu conteúdo nos seguintes posts:

Publicado por Lili

Leia também www.berlili.wordpress.com

%d blogueiros gostam disto: