Vier Jahre in Berlin

Enquanto o meu terceiro ano em Berlim foi o ano de retomar a vida social o quarto ano foi o ano de trabalhar e de ver a vida social pegar uma gripezinha.

Pandemia

Escrevo este post dentro de casa, assim como todos os outros posts deste blog, mas com uma diferença, ficar em casa não é exatamente uma escolha, mas sim uma necessidade.

O ano é 2020, o mês é abril e o mundo inteiro está passando por uma pandemia causada por um vírus com nome de cerveja, Corona. Estamos todos, ou deveríamos estar todos em isolamento social, termo que já conhecido meu desde 2016, ano em que me mudei para a Alemanha.

As escolas fecharam (já estão reabrindo aos poucos), as fábricas pararam, todos os bares, baladas e casas de shows de Berlim estão de portas fechadas, restaurantes e cafés aceitam apenas pedidos para levar pra casa, apenas lojas de produtos essenciais (supermercados, drogarias e farmacias) e lojas pequenas estão abertas. O restante só pode vender online, a Amazon deve estar muito feliz, é uma das poucas empresas que está contratando no meio dessa crise em que muitos perderam os seus empregos.

A tão esperada primavera chegou e só se pode sair na rua pra dar uma caminhada ou resolver alguma coisa, nada de ficar passeando, muito menos em grupo, só pode andar com quem mora na mesma casa que você. É necessário usar máscara em lugares públicos e no transporte público. Isso tudo pra que o vírus não se espalhe tão rápido causando um colapso no sistema de saúde.

O ano estava indo muito bem, eu estava com a vida entrando nos trilhos, conhecendo novas pessoas, conseguindo sair mais e conhecer melhor a cidade que eu escolhi pra morar, o filho se desenvolvendo na Kita, me sentindo mais confiante no uso do idioma local, testando novas ideias e até conseguindo os primeiros trabalhos até tomar um belo de um banho de àgua fria e me ver vendo tendo que ficar em casa com filho pequeno de novo, exatamente como em 2017 e 2018.

O sentimento é de estar vivenciando um filme de terror sobre pandemia. Espero sobreviver pra escrever o post sobre o quinto ano em Berlim com boas notícias ou vivendo como uma caçadora de zumbis.

Já falei um pouco sobre isso neste e neste post, não quero mais falar/escrever sobre Covid-19 e não aguento mais ouvir falar de Corona vírus. Saudades Kita.

Work, work, work, work, work, work

Voltando ao objetivo deste post, que é contar como foi a vida no último ano aqui em Berlim e como anda a minha adaptação já quero comecar contando uma ótima notícia. Em meio a crise econômica e pandemia eu consegui retomar a minha carreira de UX Designer e assinar um contrato com uma startup alemã. Uhhhuuuu!!! Estou aguardando o isolamento social acabar pra poder comemorar direito esta vitória e conhecer pessoalmente os meus colegas de trabalho.

Foi um longo caminho até chegar até aqui e no meio desse caminho eu trabalhei na recepção de uma escola de idiomas em troca de aulas de alemão, pintei uns quadrinhos pra quarto de criança, desenhei estampa de camiseta e afins (só ganhei 2 euros com isso até agora), fiz logo, montei site pra cliente no Brasil e trabalhei conferindo os ingressos da Berlinale em um cinema na Alexanderplatz, deu até pra assistir uns filmes. 🙂

O trabalho na Berlinale, festival de cinema famosinho aqui de Berlim, foi celebrado como se não ouvesse amanhã. Peço desculpas ao amigos que tiveram que me ouvir falar sobre isso como se fosse a melhor coisa do mundo, mas sabe como é… primeiro contrato assinado em terras germânicas e com pagamento em euros. Eu já fiquei feliz só de ter passado na entrevista que foi toda em alemão. Ainda bem que eu comemorei porque saí do cinema direto pra quarentena do Covid-19. Imagina eu paranóica conferindo os ingressos a 2 metros de distância das pessoas!

Hoje eu lido com os desafios do homeoffice+homekita. Vamo que vamo!

Enfim amiguinhos, tenham paciência e estudem, há esperança.

Novos hábitos do ano

  • Voltei a tomar meio litro de café por dia;
  • Desenhos mais simples e rápidos (até fiz alguns cursos online sobre desenho e comics durante isolamento social);
  • Dimiui a quantidade de àlcool, a meta é zerar depois que tive um incidente envolvendo perda de memória em Friedrichshain;
  • Estou deixando o cabelo embranquecer;
  • Parei de recolher peças de Lego do chão e passei a ignorá-las.

Espero que tenham gostado do post. Me mandem notícias ou me chamem pra uma videoconferência.

Publicado por Lili

Leia também www.berlili.wordpress.com

%d blogueiros gostam disto: